domingo, 29 de setembro de 2013

O REINO DA PAZ

Senhor, Amado Rei! Assento-me sob uma árvore de neen1 e assopro a minha pobre avena de bambu, mas a minha música ecoa solitária, não chegando nem à minha pobre aldeia...
Mestre de minha vida! O mundo em contendas tremendas abafa a melodia de amor por Ti e, assim, estrangula-se pela estrídula marcha das guerras insanas...


Os governos dissipam, ainda, as posses universais nas bases do despotismo e da incúria, enquanto as crianças caem mortalmente atingidas pela insanidade da ganância dos poderosos... Alteiam-se em seus decretos de autoritarismo no poder temporário, enquanto tudo Te pertence, Ó Senhor!



As sociedades não recebem o som melancólico de minha flauta humilde entoando a Tua comiseração, tão absorvidas e ensurdecidas se encontram em seus apegos e paixões...


Mestre Amorável, Rei de minha alma! As famílias se esfacelam e os bens da religião são malbaratados pelo orgulho e pelas vaidades, fenecendo em tantos descaminhos e nas pseudoverdades...

Mas, continuo assoprando a minha melodia tímida de amor, clamando por Ti Soberano Rei, atemorizado ante o domínio de Raktabija2 que, autorizado por Varuna3 , parece tomar o mundo como seu reino de ignomínias.
Clamo! Ó Senhor Shiva4 ! Ó Grande transformador, com seu potente trishula5 de três pontas; criação, revolução e transformação, proporciona à Terra as grandes mudanças, as grandes revoluções para o Progresso do Espírito... nessa fé e nessa expectativa se acalma o espírito do cantador solitário...

Assopro ainda, Ó Senhor e Rei, a minha avena de bambú entoando o Teu cântico de amor; na expectativa de Tua presença – Luz meridiana a clarear as dores tremendas que ainda envolvem o mundo; tão pleno de conhecimentos e tão baldo do verdadeiro amor e fraternidade.

Subitamente, do espaço surge um relâmpago de proporções e claridades colossais, qual fogo abrasador rompendo em direção a terra e em meio dele Tu surges ó meu Senhor, em Teu carro de luz deixando um rastro de estrelas! Meus olhos assombrados atestam que tu percorres toda a extensão de teus domínios, pois tudo Tu conheces, tudo Tu sabes e por isso mesmo, Tu também choras... 

Tomas a Tua flauta de ouro e assopras a mais sublime de todas as melodias de amor e paz, de misericórdia e esperança atingindo todas as nações, todas as sociedades, todos os credos e todas as almas! Súbito, tudo se acalma, emerge uma grande e profunda esperança, uma fé inquebrantável assoma os corações de que Teu Reino de Paz logo se instalará na terra e nada mais, torpe, resistirá ao influxo de Tua melodia divina; o mal não mais sobrelevará o bem e a vanglória do orgulho e da vaidade cairão por solo, sem mais eco...

Enfim, assoprando na Tua flauta de ouro a música da Paz e da Misericórdia assegura-nos que o mundo envolver-se-á em Tua melodia de progresso e serenidade, para Eternidade dos tempos... 
Louvado seja amado de minha vida! Louvado seja Ó Rei da Beleza e Senhor da Paz!

Rabindranath Tagore
Mensagem Psicografada por 
Helaine Coutinho Sabbadini
em Reunião Pública na AEPH - Associação Espírita Paz e Harmonia
Miracema, RJ, em 27 de Setembro de 2013


1- Neen (Azadirachta indica) é o nome de uma árvore da família Meliaceae, única no seu gênero botânico. O seu nome científico faz referência à sua origem, a Índia.
2- Demônio na Mitologia Indiana
3 -Senhor dos nós – Deidade Indiana que segundo a Mitologia possui a capacidade de prender ou liberar, de dar a vida ou tirar. 
4- Supremo Deus Hindu do Progresso e do Movimento Cósmico 
5- Tridente usado pelo Deus Shiva



Palestras e Seminários








Congregação Espírita Paz e Harmonia. Itaperuna


Francisco de Assis pelo artista grego Takis Alexiou





segunda-feira, 2 de setembro de 2013


Meta Maior

Filhos amados, irmãos queridos, Jesus vos sustente os empenhos transformadores!

Neste conclave de almas de boa vontade, em hora festiva, vimos atender ao apelo dos corações valiosos que nos sugerem a palavra modesta.

Deste modo, o fazemos, com o limite de nossas íntimas imperfeições, mas na diligência contínua, em cujas disciplinas temos aprendido muito, tangidos pelo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

As instituições espíritas erigem-se por toda parte, germinam os valores desenvolvendo-se no bojo renovador do Movimento Espírita que prospera. 

Contudo, compreendei que o tempo, patrimônio divino, é exíguo para que a permanência dos mesmos patrimônios se estabeleça, para que o contingente de servidores, peculiar a uma época, permaneça. Tudo é dinâmica transformadora nos horizontes da Terra. Tudo, sim, persiste em espírito, mas sempre em novos moldes.

Herdais do ontem e legais algo de vós mesmos para o amanhã.

Meus filhos, tudo se transforma, tudo é substituído, a tarefa é provisoriamente vossa oferecendo-vos oportunidade abençoada, mas lembrai que a Causa é do Cristo. O labor em sua essência sublime pertence a Ele. 

Somos, todos nós, meros coadjuvantes tendo na ocasião de servir o laurel sagrado da auto-redenção.

A reencarnação é oportunidade.
Os serviços são bênçãos.
O conhecimento clarificador conquistado através do Evangelho Redivivo é oblação celestial, mas seu significado somente será validado nas ações nobilitantes. Entretanto, toda ação nas extensões da vida física é relativa a um período, para um justo momento particular a cada um, de servir e construir para o bem.

Assim conhecendo, jamais retereis quaisquer empreendimentos em vossas mãos!

O próprio movimento unificador, cuja raiz germinou da Espiritualidade Superior através da união das almas e dos valores; conectando conhecimentos e movimentações nas bases espiritistas cristãs, jamais se desdobraria em frutos sazonados se unicamente permanecesse pelo trato no papel ou por pura celebração.

O Pacto Áureo proposto no Meio Espírita – cuja importância foi configurada nas primeiras horas do Espiritismo no Brasil -, reverberou em união fraternal de almas e se deu pela dinâmica altruísta e sincera no coração de cada espírita cristão imbuído de sua tarefa singela e desconhecida.

Os empenhos mais sagrados dimanam do silêncio operante na própria alma.

Somente assim, em comunhão fraternal conseguireis a União tão apregoada e almejada - ontem e hoje - em vossas e nossas leiras.

Amados, às instituições, agremiações, sociedades espíritas de ontem sucederam-se outras instituições na atualidade dos tempos.

Novos valores, no momento presente, sucedem valores que se vão ou antigos que se foram.

No tempo vindouro, as mudanças serão iminentes no circuito da Evolução. Portanto, meus filhos, sois unicamente o amor, a dedicação, a fraternal conduta que ajustardes aos próprios espíritos nas lidas com Jesus. Somente então tudo guardará o seu legítimo valor!

Vossa meta maior – a autotransformação.
Vosso limite – o respeito às falibilidades de vossos semelhantes.
Vossa advertência – a distração de que sois espíritos eternos, perfectíveis, sim, contudo necessitando por isso mesmo de comunhão com o Alto, com a Espiritualidade Superior através da oração e do trabalho, todos os dias de vossas vidas.

Jesus, o Mestre sempre presente, vos abençoe e guarde em Sua infinita paz.

Avante nos maiores empenhos, filhos meus!

Daquele que vos ama e vos recomenda sempre:
AMAR, PERDORAR, TRABALHAR e AVANÇAR.

Bezerra
Helaine Sabbadini

Mensagem psicografada recebida 
em palestra pública na
Congregação Paz e Harmonia
Itaperuna, em 24 de fevereiro de 2013