Momentos Preciosos





Acompanhando-te diligentemente os passos na escola abençoada da vida, alma querida, anoto que no instante precioso de relevares as provocações, através da compreensão e da paciência, a irritação vergasta teu ânimo abrindo portas para o desalento.

No caminho que, não raras vezes, traço contigo junto às tuas lutas, alma cara, verifico que a cizânia e o azedume ainda tisnam tuas disposições sagradas nos serviços retificadores na senda comum.

Tu prodigalizas, desta feita, a oportunidade valiosa! O momento precioso de crescer e sobrelevar-te rumo aos alvos superiores.

Na cadência dos dias caminho junto contigo, no processo de ajustar os desafios que tu mesmo ajudaste a compor para o teu programa reencarnatório, mas ao advirem os momentos preciosos de aceitares as várias lutas; de ordem financeira, moral, material ou espiritual, esvai-se o ânimo, sem que tu recebas com proveito o que vem para teu próprio crescimento.

Alma preciosa, escuta; interrompe a cascata das lamentações! Cessa as queixas! Quebra a infeliz cadeia das insatisfações e revoltas injustificáveis e não permitas que os momentos preciosos de enfrentamento dos problemas de toda ordem sejam perdidos. Por que recebes com lança em riste e coração acirrado as tuas dores?

Não te creias vítima de um destino injusto!
Não te julgues peça infeliz de uma arbitrariedade traçada contra ti, que em muitas circunstâncias surgem como fruto de tua mente turbada.
Não te aprecies a tua própria existência como abandonada e padecente de todos os recursos ou dos basilares meios de ergueres os castelos de teus anelos santos, de tuas construções superiores.
Não imagines que estejas esquecido da misericórdia de Deus, pois não raras vezes é tu mesmo que te tornas refratário ao socorro fraternal advindos dos Cumes Celestes, porque te colocas qual vítima infeliz de fortuitos acontecimentos.
Não! Alma querida, não é assim!

Interrompe a cadeia dos sinistros sentimentos que assomam a tua alma de vez em quando e jamais prodigalizes os momentos preciosos de recebê-los todos; as dores, os desafios morais, o abandono, visto que, dependendo de tua simples sintonia na mudança da postura de alma reintegrar-te-ás ao fluxo e refluxo da respiração misericordiosa de Deus.

Anota alma bondosa: — quando ensejares à casa íntima; a queixa, a mágoa, o desânimo, o pessimismo e o rancor... Estarás postergando o grande laurel de aceitares do Amor do Cristo os Momentos Preciosos que te reintegrarão na dinâmica Divina da Compreensão, do Amor e da Evolução.

Recebe, coração caro, as tuas lutas quais amigas abençoadas a coadjuvarem os teus sagrados empenhos na escola da existência, sempre em prol de ti mesmo.

Meimei
Helaine Coutinho Sabbadini
Muriáe, MG, em 20/06/2010 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DEGUSTAÇAO - LIVRO FLORES DO CEDRON - EDITORA LACHÂTRE / PRELO

61º Aniversário do Centro Espírita Caridade e Virtude / APERIBÉ

Obediência & Resignação, Ética & Moral