Liberdade com Jesus


“Pois, sendo livre de todos, fiz-me
escravo de todos...”
Paulo – I Coríntios, 9: 19

Nas extensões do globo terrestre desenvolve-se a vida em expressões diversas e primorosas!
As individualidades acotovelam-se na busca das realizações plenas, almejando paz e felicidade, ansiando da vida o melhor dentro das concepções que lhes são próprias, nesta era tecnológica e globalizada.
O tempo torna-se exíguo para tanto a realizar – os anseios do intelecto, as construções de pedra, tijolo e ferro, que garantam confortavelmente a ventura familiar; a saúde e a estética do arcabouço físico, devidamente suprido dos recursos necessários à manutenção da existência e da prosperidade!
Escorre, todavia, o tempo na Terra e o espírito permanece escravo de si mesmo, prisioneiro dos ideais imediatos, a lhe garantirem a expressão social e o regozijo no prazer, apenas vivendo o ser fisiológico, embora se acreditando livre!
Num automatismo pernicioso, quão remoto, a inteligência imorredoura, que rogou ardentemente ao Criador a oportunidade no tentame da carne, permanece prisioneiro do orgulho, cativo da vaidade e escravo da paixão, estiolado em si mesmo e recluso dos excelsos valores espirituais! Lamentavelmente alijado, por vontade própria, das benesses de amar e servir! Sem posicionar-se verticalmente, em espírito, rumo às esferas maiores dos sentimentos plenos!
Consequentemente, permanece sofrendo! Revivendo dores, renovando decepções, porquanto recalcitrando nas mesmas dificuldades, sem atentar que as suas construções temporais não garantem a ventura, estrategicamente programada e perseguida.
Se não te encontras no universo daqueles que já despertaram para a vida verdadeira, onde vigem os valores imperecíveis do espírito íntegro, de consciência liberta, que o milênio novo solicita, interrompe os próprios passos, por um pouco e reprograma a competente trajetória. Renova os teus propósitos e reavalie com clareza os teus objetivos, a favor de tua própria felicidade e em prol da paz tão anelada.
Compreende –, mais venturoso é aquele que através da liberdade de ação, sagrado atributo, delibera ser servo de todos, aceitando, cooperando e perdoando, doando e amando, plenamente alforriado, nada obstante dentro de uma completa sujeição ao Cristo!
Liberdade em Cristo Jesus é sublimada servidão aos precípuos deveres, conforme constatou o Discursador do Evangelho à comunidade evangélica de Corinto: “pois, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos...”
Alforria-te, o quanto antes, da cela escura dos apegos transitórios, que há tanto tempo segrega-te às lágrimas e às desilusões e lança-te, sem demora, à construção da vida plena!




Nathanael
Helaine Sabbadini
Livro: Cartilha Evangélica


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DEGUSTAÇAO - LIVRO FLORES DO CEDRON - EDITORA LACHÂTRE / PRELO

61º Aniversário do Centro Espírita Caridade e Virtude / APERIBÉ

Obediência & Resignação, Ética & Moral