Meta Maior

Filhos amados, irmãos queridos, Jesus vos sustente os empenhos transformadores!

Neste conclave de almas de boa vontade, em hora festiva, vimos atender ao apelo dos corações valiosos que nos sugerem a palavra modesta.

Deste modo, o fazemos, com o limite de nossas íntimas imperfeições, mas na diligência contínua, em cujas disciplinas temos aprendido muito, tangidos pelo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

As instituições espíritas erigem-se por toda parte, germinam os valores desenvolvendo-se no bojo renovador do Movimento Espírita que prospera. 

Contudo, compreendei que o tempo, patrimônio divino, é exíguo para que a permanência dos mesmos patrimônios se estabeleça, para que o contingente de servidores, peculiar a uma época, permaneça. Tudo é dinâmica transformadora nos horizontes da Terra. Tudo, sim, persiste em espírito, mas sempre em novos moldes.

Herdais do ontem e legais algo de vós mesmos para o amanhã.

Meus filhos, tudo se transforma, tudo é substituído, a tarefa é provisoriamente vossa oferecendo-vos oportunidade abençoada, mas lembrai que a Causa é do Cristo. O labor em sua essência sublime pertence a Ele. 

Somos, todos nós, meros coadjuvantes tendo na ocasião de servir o laurel sagrado da auto-redenção.

A reencarnação é oportunidade.
Os serviços são bênçãos.
O conhecimento clarificador conquistado através do Evangelho Redivivo é oblação celestial, mas seu significado somente será validado nas ações nobilitantes. Entretanto, toda ação nas extensões da vida física é relativa a um período, para um justo momento particular a cada um, de servir e construir para o bem.

Assim conhecendo, jamais retereis quaisquer empreendimentos em vossas mãos!

O próprio movimento unificador, cuja raiz germinou da Espiritualidade Superior através da união das almas e dos valores; conectando conhecimentos e movimentações nas bases espiritistas cristãs, jamais se desdobraria em frutos sazonados se unicamente permanecesse pelo trato no papel ou por pura celebração.

O Pacto Áureo proposto no Meio Espírita – cuja importância foi configurada nas primeiras horas do Espiritismo no Brasil -, reverberou em união fraternal de almas e se deu pela dinâmica altruísta e sincera no coração de cada espírita cristão imbuído de sua tarefa singela e desconhecida.

Os empenhos mais sagrados dimanam do silêncio operante na própria alma.

Somente assim, em comunhão fraternal conseguireis a União tão apregoada e almejada - ontem e hoje - em vossas e nossas leiras.

Amados, às instituições, agremiações, sociedades espíritas de ontem sucederam-se outras instituições na atualidade dos tempos.

Novos valores, no momento presente, sucedem valores que se vão ou antigos que se foram.

No tempo vindouro, as mudanças serão iminentes no circuito da Evolução. Portanto, meus filhos, sois unicamente o amor, a dedicação, a fraternal conduta que ajustardes aos próprios espíritos nas lidas com Jesus. Somente então tudo guardará o seu legítimo valor!

Vossa meta maior – a autotransformação.
Vosso limite – o respeito às falibilidades de vossos semelhantes.
Vossa advertência – a distração de que sois espíritos eternos, perfectíveis, sim, contudo necessitando por isso mesmo de comunhão com o Alto, com a Espiritualidade Superior através da oração e do trabalho, todos os dias de vossas vidas.

Jesus, o Mestre sempre presente, vos abençoe e guarde em Sua infinita paz.

Avante nos maiores empenhos, filhos meus!

Daquele que vos ama e vos recomenda sempre:
AMAR, PERDORAR, TRABALHAR e AVANÇAR.

Bezerra
Helaine Sabbadini

Mensagem psicografada recebida 
em palestra pública na
Congregação Paz e Harmonia
Itaperuna, em 24 de fevereiro de 2013



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DEGUSTAÇAO - LIVRO FLORES DO CEDRON - EDITORA LACHÂTRE / PRELO

61º Aniversário do Centro Espírita Caridade e Virtude / APERIBÉ

Obediência & Resignação, Ética & Moral