O Homem e o Mundo

“Certamente, a palavra da cruz é loucura
para os que se perdem, mas para nós,
que somos salvos é poder de Deus.”
Paulo – I Coríntios, 1: 18


Atestam diversos transeuntes na romagem reencarnatória, a despeito de conhecedores da própria essência espiritual em ensaios nobilitantes na esfera terrena, que necessitam viver as experimentações inerentes à vida material, desfrutando dela tudo aquilo que lhes ofereça de favorável –, blasonando a justificativa de não serem indivíduos estritamente incorpóreos.

Num despautério inferem e interpolam os ditames das Leis Divinas que conhecem sobejamente, tomando, inclusive, o Criador por cúmplice de suas investidas apaixonadas, excursionando nos desequilíbrios de variada ordem.

Arrojam-se, inconseqüentes, ao culto dos sentidos dando vazas aos vícios em conluios doentios – ora, servindo aos bens divinos, ora, quedando-se escravos de Mamom – como se o Provedor dos bens imarcescíveis lhes compactuasse a irresponsabilidade, embora bem urdida!

Qualquer criatura, na experiência do lar e na condição de protetor sensato, jamais jugulará as vidas dos próprios rebentos, alijando-os das experiências enobrecedoras a título de poupar-lhes os sofrimentos. Por mais se confranjam os corações dedicados, são compelidos a deixar os entes queridos excursionarem através das próprias experimentações, no aprendizado comum, fornecendo-lhes, todavia, o embasamento da formação nobre e sadia, como diretriz segura.

Os tutores terrenos, que possuem o conhecimento das verdades espirituais, cientes de que os seus afeiçoados são caminheiros das múltiplas experiências, num processo abençoado de iluminação espiritual, saberão conceder às almas que Deus lhes outorgou o alimento salutar e imprescindível dos princípios evangélicos. Entretanto são convidados a respeitar-lhes o livre-arbítrio e as peculiares condições interiores, fruto de seculares experimentos.

Que diremos do Pai Celestial quanto às nossas escolhas na romagem física, fruto da inalienável liberdade?

Àquele a quem muito foi oferecido muito será solicitado, asseverou Jesus! O conhecimento Espírita é manancial de construção e transformação urgentes para aquele que o recebeu por divina herança, não podendo o profitente sincero, sob quaisquer pretextos, perpetuar-se acrisolado à materialidade e aos apegos.

A Doutrina Espírita é adjudicada às almas decididas, fortes e resolutas, extenuadas dos chamamentos grosseiros da insensatez!

Meu irmão, conhecer os princípios superiores do Evangelho Redivivo confere-te imensa responsabilidade!

Espíritos dedicados, preciosos lastros da grande família espiritual que compões, avançaram e permanecem assegurando-te a caminhada, velando por tuas boas disposições... Outros elos sagrados de teu coração, nada obstante, ainda tergiversam pelos escorregadios terrenos das vivências apaixonadas, num processo inconsciente de morrer e renascer no corpo denso, perseguindo o que lhes satisfaça os apetites viciosos e os alimente as paixões vis.

Zombam dos distanciados de seus propósitos, daqueles não identificados às suas maneiras frívolas e irresponsáveis de existir, teimando na retaguarda a passos lentos. No entanto, atenderão, cedo ou tarde, ao destino comum a todos os seres – evolver!

Elos afetivos vão estabelecendo, através dos tempos, numa enorme corrente de fraternidade, irmanando todos os seres, sob a Lei Maior, proclamada por Jesus!

Importa que tu guardes, para com todos, amor e compaixão! Auxiliando com a exemplificação de atitudes sublimadas e no silêncio de preces sinceras, sem quaisquer reproches!

Inquestionavelmente o sarcasmo avançará qual fera famulenta sobre os teus mais nobres ideais, neste mundo de aferições e sagrados testemunhos... A multiplicidade dos espíritos, no trâmite dos ensaios planetários, ainda esquece os superiores deveres, de tal sorte encontrarás, constantemente, aqueles que banalizarão os teus propósitos elevados.

Sem alarme ou consternação, lembra-te do Mestre e de Seu prestimoso auxiliar, o Apóstolo dos Gentios, quando em êxtase de gratidão e puro júbilo espiritual afiançou – “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos é poder de Deus.”

 
Nathanael
Helaine Coutinho Sabbadini


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DEGUSTAÇAO - LIVRO FLORES DO CEDRON - EDITORA LACHÂTRE / PRELO

61º Aniversário do Centro Espírita Caridade e Virtude / APERIBÉ

Obediência & Resignação, Ética & Moral