Antídoto à Mágoa

A mágoa, quando instalada e cultivada, tornar-se-á insidiosa teia a enovelar o fulcro sublime do discernimento espiritual! Qual veneno letífico contaminará as mais preciosas disposições no sagrado ministério de amor, proposto pelo Evangelho de Jesus!

Meu irmão, se tu a acolheres, à conseqüências nefastas, indubitavelmente, serás arrastado! Incidirá o negro véu dos pensamentos desequilibrantes e conturbados...

Advirão as atitudes em desalinho, fruto do descompasso com as vibrações superiores, assim como precipitar-te-ás em lamentáveis disposições automáticas, mascaradas sob a forma de “justificativas” e “defesas” incompreensíveis, em face dos semelhantes...

Instalar-se-á a estagnação e a cessação do fluir sereno das correntes salutares advindas dos orientadores superiores, num estacionamento doentio e perigoso...

Sobrevirá a dor, o sofrimento e a compunção, em conseqüência do prolongado tempo na paralisação, vergastando-te a alma, então sucumbida ao império das injunções antagônicas aos bens superiores!

Se te rendeste à mágoa, interrompe o quanto antes e anula, definitivamente, tal estado mórbido! Arroja-te a esta iniciativa sem tardança, redobrando esforços!

Invista no reto pensar, sentir e falar, no elevado proceder, rumando em direção ao realinhamento mental e emocional necessário.

Entregue todo mal, seja qual for o cambiante em que ele se apresente, ao cadinho do tempo, patrimônio divino que forja todos os caracteres humanos, modifica vidas e transforma, não só pessoas, mas sociedades inteiras.

Guinda-te a novas e salutares diretrizes dentro das tarefas selecionadas, no núcleo de ação espírita no qual te situes.

Serão sempre benéficas todas as providências tomadas com equilíbrio e bom senso, em qualquer campo de atuação na vida.

Jamais tuas atitudes, íntimas ou exteriores, pressuponham “respostas” aos agravos ou desgostos, que devem ser extirpados, quais ervas daninhas a medrarem, de inesperado, intentando sufocar-te os ideais superiores.

Os benfeitores maiores assistem, incessantemente, aos indivíduos dispostos ao reequilíbrio, mormente, aqueles que se lhes conjugam aos esforços elevados, permanecendo em silêncio e oração, estudo e trabalho, postando-se com sincera humildade –, procedimentos para propiciar-se a sintonia saudável!

Alvejado pelo escárnio, pela injustiça ou pela maldade, jamais desconsideres a humildade e a simplicidade, inerentes àquele que já distingue as competentes imperfeições! Lembra-te de que a imersão nos experimentos da reencarnação é para todos aqueles necessitados de muito depurar.

Deixe que a comiseração e a bondade divinas, com as quais te manténs afinizado, te conduzam os passos e te justifiquem a razão, na interminável jornada de ascensão espiritual!

Júlio Cezar Grandi Ribeiro
Helaine Coutinho Sabbadini


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DEGUSTAÇAO - LIVRO FLORES DO CEDRON - EDITORA LACHÂTRE / PRELO

Elizabetta de la Paz - lançamento pela Editora Lachâtre

Obediência & Resignação, Ética & Moral